.

1 2 3 4 5

25 de maio de 2014

Postado por Monique | Marcadores: , ,
Sou uma pessoa que odeia seriados, ainda mais os compridos. Assisti no máximo a super popular série britânica Sherlock sob o pretexto de haver apenas nove episódios dela atualmente, mas não escondo minha paixão pela série americana Columbo (1968) com suas dez temporadas e 69 longos episódios - prato cheio para os fãs de detetives, mas fica para outro post. Recentemente me encontro em amor com Tales from the Crypt, talvez pela nostalgia que me traz de uma infância regada pelas ácidas palavras do Cryptkeeper (Guardião da Cripta), e seus 93 episódios me parecem muito pouco. Tenho um ritual de despertar que envolve assistir a um ou dois episódios no celular antes de levantar da cama, e mais alguns ao longo do dia. Acho incrível como os trinta minutos de cada um parece pouquíssima tempo, e como me leva um sorriso ao rosto a fantástica introdução, além do arrepio que percorre a espinha a risada do Cryptkeeper.


No meu blog antigo cheguei a fazer dois posts sobre Tales from the Crypt (aqui e aqui), mas convenhamos que ouvir a umas musiquinhas e assistir aos filmes natalinos em 2011 não reacendeu a chama que me fascina em Tales como o acaso fez nesta semana em meados de 2014.
É realmente um negócio bom! Não vou dizer que causa medo, mas há episódios com algumas sacadas realmente geniais que definitivamente te deixarão empolgado, tal como eu fiquei. Raramente posto no Brasil Bizarro coisas das quais não gosto ou tenho pouco conhecimento ou afinidade para com, e se estou indicando essa fabulosa série, acredite que o faço com o âmago.
Outro ponto interessante a ressaltar é o dom da série de nos fazer gostar de praticamente todos os personagens, por mais odiáveis que eles sejam. Até agora só não fui com a cara do 


Um breve resumo

Quando a Entertainment Comics lançou os quadrinhos de terror Contos da Cripta, nos anos de 1950, provavelmente não imaginava o sucesso que a história faria. Depois da aclamada revistinha, os contos ganharam uma versão para a TV, e com 93 episódios, a série durou 7 anos, indo ao ar de 1989 à 1996.

Por ter sido exibida na tv a cabo americana, a série ousou no humor negro e não deixou de fora referências sexuais, nudez e muita violência. Os episódios eram contados pelo Guardião da Cripta, uma caveirinha que guardava uma cripta sob uma mansão assombrada em um cemitério. Cabia a ele, o Cryptkeeper (ou simplesmente Keeper), introduzir o episódio que se veria à seguir a partir de alguma situação em que ele estivesse. As histórias não tinham ligação e apresentavam personagens aleatórios, o que facilita muito pessoas descompromissadas (como eu) acompanharem-nas. 


Assista online

Graças aos seus um usuário bondoso do Youtube disponibilizou todos os episódios em seu canal, legendados. Clique aqui para acessar o canal. Abaixo, três episódios para te servir como introdução à fétida cripta de perturbações, AHA-hahaha-hahaha...! (Considere isso a risada do Cryptkeeper)




3 comentários:

  1. Show, curti muito quando passava na tv, valeu por compartilhar.

    ResponderExcluir
  2. Esse seriado não é da minha época, mas é muito melhor que muita porcaria que vemos por ai, é terror verdadeiro, desde que comecei a ver viciei.

    ResponderExcluir

Escreva, monstrinho.