.

1 2 3 4 5

19 de março de 2014

Postado por Monique | Marcadores: , ,
Condenado por muitos e praticado desde os primórdios da civilização, o derramamento de sangue é hoje considerado um tabu.
Maias sacrificavam crianças, retirando seus corações e usando as peles como vestimenta dos sacerdotes. Nos dias de hoje, na África do Sul, uma pessoa pode ser morta ou mutilada para que partes de seu corpo sejam utilizadas como ingredientes de remédios da sabedoria popular. Incas e Astecas acalentavam e satisfaziam os deuses com vítimas humanas imoladas sobre os altares. Os Thugs na Índia matavam para agradar a Deusa Kali. Escandinavos, gregos e romanos tinham em suas práticas ancestrais muitos sacrifícios, tanto de animais, quanto de seres humanos.
O sacrifício animal ainda hoje costuma ser bastante solicitado nos cultos africanos como Umbanda, Quimbanda e nos Candomblés “brasileiros”. Os animais sacrificados geralmente são galinhas, galos e gatos negros, pombas, cobras, bodes, cabras e cães. O animal deve ser apunhalado no coração, ou pelo pescoço, e em ambos os casos com o punhal. Todos os outros métodos são menos eficazes de acordo com Aleister Crowley; inclusive no caso da crucificação, a morte chega com a punhalada.
Um breve retorno à Inquisição Espanhola ou às Cruzadas nos lembra que derramar não é exclusivo das religiões de via esquerda...! Também, na primeira lição ética da Bíblia, se indica que o único sacrifício que agrada os olhos do Senhor é um sacrifício de sangue. Como disse São Paulo, “Sem o derramamento de sangue não há remissão.” Aliás, isso me lembra aquela citação "Não existe vitória sem guerra"; basicamente remete ao fato de o sangue gerar progresso.


Muitos magistas modernos e "éticos", em especial os da ordem Thelemita de Crowley, são contrários ao emprego do sangue e utilizam em seu lugar o incenso. Para tal fim se pode empregar o incenso de Abramelin em grandes quantidades, ou os do tipo Dittany e Creta. Mas se você leitor entende o mínimo de ocultismo e especialmente de magia cerimonial, deve saber que quanto mais emocionante é o ritual mágico, mais êxito se obterá. Para quase todos os propósitos o sacrifício humano é o melhor, já que é o mais moralmente perigoso.


Vida se alimenta de vida e o sangue é um dos catalizadores supostamente mais potentes e eficazes para gerar determinadas energias dinâmicas no trabalho do magista.
Já foi dito o suficiente para demonstrar que as engrenagens Magia, desde os tempos primordiais, tem sido o sacrifício sanguíneo. A ética dessa prática parece que não importou a ninguém em particular senão em nosso período contemporâneo, onda há uma comissão de direitos humanos que defende até estupradores em série! Mas, depois de tudo, cada um pode julgar o que quiser sobre o tema, ou sobre qualquer outro tema. A questão é: por que raioso o bode expiatório costuma ser jovem? Dentre crianças, adolescentes, homens e mulheres, ninguém escapa. Mas todos sabemos que é de prado as crianças serem alvos frequentes. Por quê?


Os Magos da antiguidade sustentavam a teoria de que qualquer ser vivo era um armazém de energia variando em quantidade segundo o tamanho do mesmo e em qualidade segundo seu caráter moral e mental. À morte deste animal esta energia se libera instantaneamente. Palavras de Crowley. Obviamente, o jovem tem mais vida dentro de si. Além disso, como muitos já devem ter percebido, a virgindade é sempre preferida em sacrifícios - que nunca ouviu falar em sacrificar uma virgem? Isso porque a potência de toda sua energia original tem que ser intacta. Dessa forma, eis outro motivo para crianças serem as prediletas dos carcereiros. Para os trabalhos espirituais mais elevados, deve-se optar por quem detém a maior quantidade e pureza de força, e sem nenhuma deformação física: jovens puros e virgens, crianças. Crowley também afirma que a vítima não deve ser demasiada grande, já que a energia liberada seria excessiva e atrairia coisas além do desejado na operação - mais uma vez, pensamos nas pequenas, virgens e puras crianças.
Note que embora tenha usado o Thelema como referência por ser a religião com a qual mais tenho afinidade desde muito cedo, o princípio do ocultismo é o mesmo para qualquer religião. Qualquer uma, de verdade; tais como as famosas leis universais.


Sem ponderar longamente, simplesmente extraí algumas matérias relativamente recentes de jornais que enfatizam tudo o que eu disse sobre a preferência por jovens. Já aviso que o conteúdo é relativamente forte e não indico os sensíveis a lerem.

Médico condenado por castrar meninos para rituais
Há pelo menos uma testemunha, Agostinho José de Costa, que em 2003 disse ter visto Césio Flávio Caldas Brandão (foto) saindo de um mato com um facão e um saco plástico. Posteriormente, no mesmo local foi encontrado o corpo de Jaenes, 13. O menino estava castrado.
Leia mais


"Não fui eu, foi uma entidade!"
Arlene Regis dos Santos (foto), 35, disse que não matou os seus dois filhos não foi ela, mas uma "entidade" que se apossou dela. Frequentadora de cultos de candomblé, a dona de casa estava se convertendo à Igreja Universal do Reino de Deus.
Os dois foram assassinados a facadas. Um dos corpos também apresentava marcas de estrangulamento. Teriam sido pegos de surpresa às 3 horas da madrugada, quando estavam dormindo. Ainda assim um terceiro filho, de 15 anos, conseguiu escapar.
Quando os policiais chegaram na casa, a mulher, com voz grave, teria dito: “Estão vendo o que fiz com os filhos dela?” O delegado disse que Arlene, além de falar de maneira estranha, revirava os olhos. “Foi necessária a força de quatro homens para contê-la.
Leia mais


O médico coautor de emasculação de meninos
Uma testemunha disse que o médico Anísio Ferreira de Souza (foto), 77, frequentava os cultos satânicos da vidente Valentina de Andrade e que ele foi visto uma vez com o pênis de um menino em uma caixa de isopor.
Ele foi condenado em 2003 a 77 anos de prisão em regime fechado por ter ter sido coator na tortura, morte e emasculação de 19 meninos de Altamira (PA) de 8 a 14 anos. Os crimes ocorreram entre 1989 e 1998 como parte de rituais de magia negra da Valentina.
Leia mais


O pai de santo que matou e torturou um menino
Em abril de 1989, em Goiânia (GO), o pai de santo Willian Domingos da Silva sacrificou um menino em um ritual de magia negra. Silva foi acusado pelo Ministério Público de crime cruel cometido por motivo torpe e sem dar chance de defesa à vítima.
A esteticista Elsa Soares da Silva, que encomendou o ritual, procurou o terreiro de candomblé Axé Ilê Oxalufá para que Silva providenciasse que o seu ex-namorado se desse mal no novo relacionamento. O pai do santo aceitou o “trabalho”, mas disse que precisaria de um menino para sacrifício. Elsa lhe entregou Michel Mendes, que morava com a tia dele, na vizinhança da esteticista.
Durante o ritual o pai de santo espancou o menino, tirou três dentes dele, amputou os dedos de suas mãos e o decapitou. O corpo foi encontrado 13 dias depois em uma cova rasa perto do terreiro.
Leia mais

Homem que comeu o próprio filho recém nascido em ritual
Moradores do município de Tabubil “Nova Guine” província do oeste, do estado do Maranhão ficaram estarrecidos com uma ocorrência macabra registrada no último domingo, 24, quando um criança recém nascida foi comida viva pelo próprio pai em frente a uma multidão. Segundo informações, o fato aconteceu como pagamento de uma promessa macabra por questões de religiosidade.
Leia mais


Tentativa de sacrificar criança em praça publica
...E refutando que não apenas pessoas "de esquerda" fazem essas coisas...

Em plena luz do dia, uma mulher tentou sacrificar uma criança de aproximadamente 3 anos em frente à igreja Matriz Divino Espírito Santo, no Centro de Mineiros, no início da tarde desta sexta-feira (20/12). Segundo ela, a intenção era fazer o sacrifício para “livrar a cidade do mal”.
Uma equipe do Grupo de Patrulhamento Tático (GPT) da Polícia Militar (7ª CIPM) foi acionada e conseguiu evitar a tragédia. O fato aconteceu por volta das 12h, quando a mulher surgiu em frente à igreja, juntamente com a criança e vários itens religiosos. Também estava em posse de álcool e fósforos, com os quais pretendia incendiar o menino aos pés de uma cruz.
Lei mais

9 comentários:

  1. A divindade, sempre, como justificativa para a repugnante natureza humana. Nice post

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com você, e isso me faz ponderar se, afinal, a religião é boa ou ruim para a sociedade. Por um lado, vemos pessoas se privando de interpretações errôneas e fatais do "faça o que tu queres" em nome da Igreja, por medo de arder no fogo eterno do inferno - ovelhas sendo domadas de modo a perpetuar a segurança social... Por outro - faca de dois gumes - há e sempre houve grandes atrocidades e perversidades cometidas em nome do sacro. Afinal, quem queimou as "bruxas" durante a Inquisição Espanhola foi para o céu, né?
      O mesmo vale para a maioria das religiões, principalmente as mais populares.
      Enfim, acho que o problema é o ser humano...
      Obrigado por comentar.

      Excluir
  2. ótimo post ,se puder faz um sobre os rituais antrofragicos dos índios brasileiros que teve durante a época do descobrimento do brasil.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muitíssimo obrigado pelo elogio e principalmente pela sugestão! Fica de olho que ainda essa semana lanço um pra você sobre o tema.

      Excluir
  3. A verdade liberta!!! Parabéns!!

    ResponderExcluir
  4. Ei, dá uma olhada nesse post. sobre o pai que come o filho... dizem ser mentira.
    http://www.boatos.org/bizarro/mentira-homem-come-o-proprio-filho-recem-nascido-em-ritual-satanico.html

    ResponderExcluir
  5. Por causa dessas merdas jurássicas e Neanderthals que o mundo está está bosta. Porque essas desculpas de benefícios não se comprovam, pelo contrário, e o que vê-la essa gente a desejar isso é uma raiva terrível, uma frustração enorme de uma vida desprezível que deixa no mundo um rasto de morte. Depois do Egito a humanidade morreu, os animais preversas e retardados beberam o ADN evoluído, os híbridos dão cabo deste planeta.

    ResponderExcluir
  6. Tudo isso é de fato, macabro. Nada disso é culpa da religião, mesmo por que, até mesmo ateus já causaram um grande número de nortes ao longo da história também, o problema é esse tipo de pessoa usando a religiosidade como pretexto pra fazer esses rituais e quem faz isso distorce os ensinamentos de sua própria religião, até mesmo nas partes onde é dito que matar é errado por exemplo

    ResponderExcluir

Escreva, monstrinho.