.

1 2 3 4 5

4 de dezembro de 2013

Postado por Monique | Marcadores: ,
Primeiramente a intenção é a libertação e banimento de qualquer simbolismo pré-existente, afim de que o magista possa entrar em contato com o seu próprio Ser e assim obter o sucesso desejado em qualquer operação mágika.
"A primeira tarefa dum Magista em toda cerimônia é consequentemente tornar seu Círculo absolutamente impenetrável" — Aleister Crowley


Assim diz Crowley, de modo simples e direto, mas com bastante ambiguidade inserida no texto. Quem lê superficialmente pode achar que não passa de um ato tradicional a ser realizado antes de cerimônias, mas essa é apenas uma das infinitas utilidades empregadas no banimento. Pode-se utiliza-lo lidar com ataques psíquicos, evitar certos males, reverter maldições, fortalecer a mente do magista, dispersar pensamentos perturbadores, e até mesmo para auxiliar na concentração durante uma seção de meditação.
Eles podem ser usados como forma de oração, invocando, para começar o dia de modo seguro, e à tarde banindo, como se para encerrar as cortinas de um dia passado.
Como uma proteção contra magnetismo impuro, o Ritual banindo pode ser usado para “destruir” os pensamentos obcecantes e perturbadores, assim: Dê uma imagem à sua obsessão e a imagine formulada perante você. Projete-a para fora de sua aura com o Sinal do Entrante, Quando a imagem mental se afastar de você (mais ou menos a um metro), impeça-a de retornar com o sinal de silêncio. Agora imagine esta forma, perante você, no Oriente, e execute o Ritual Menor do Pentagrama Banindo para desintegrá-la.. Veja-a, à sua frente, dissolvendo-se no anel de chamas formado pelos pentagramas.
O Ritual também pode ser utilizado nas práticas de concentração: Sentado em sua Ásana preferida, imagine-se de pé (vestindo o Robe), e execute mentalmente o ritual. Imagine os pentagramas como Estrelas Flamejantes. No final a imagem é de um Círculo de Fogo fechado nos quatro lados com estas estrelas.
Ainda segundo Israel Regardie no Livro Magia Hermética, uma das funções do Ritual do Pentagrama Menor é limpar, equilibrar e fortalecer o corpo astral.

Ritual Gnóstico do Pentagrama 
Hoje em dia poucas pessoas estão ligadas ao misticismo Hebraico, e elas não conseguem promover as vibrações corretas de cada um dos nomes místicos amplamente utilizados nos rituais por não conseguirem entoar os nomes corretamente (que em sua maioria são em Latim), e assim promovem certa ineficácia no ato.
Ritual Gnóstico do Pentagrama escrito por Peter Carroll se diferencia de muitos, a citar o famoso Ritual Menor do Pentagrama, pois nele não existem a entonação de nomes sagrados, facilitando significativamente sua execução pelo aspecto totalmente prático sem que seja necessário qualquer estudo prévio para executá-lo.

O ritual se inicia com a respiração profunda e mentalização de radiâncias em cinco centros vitais de nosso corpo (relacionados completamente com os chakras). Cada radiância é acompanhada com a vibração de uma vogal e deve causar uma sensação específica no momento de sua entoação. As vogais são vibradas como mantras no momento da exalação (técnica conhecida como pranayama) Conforme descrito em sua concepção :
O corpo deve ser tocado como um instrumento musical, com cada parte ressonando de acordo com um tom.
Realizado tal processo, deve-se traçar em sentido anti-horário um pentagrama para cada um dos quatro cantos (Norte, Sul, Leste, Oeste). Ao concluí-los, deve-se novamente voltar ao início e entoar novamente as vogais.

Segue o procedimento do ritual:

1 – Feche os olhos. Inspire de forma completa (movimento de abdome para baixo, depois tórax expandindo e finalmente ombros para cima).
2 – Entoa o Mantra …iiiiiiIIIIIIIIIIIIHHHHHHHH expelindo todo o ar dos pulmões, enquanto visualiza uma bola intensificando luz branca ou violeta na região da cabeça.
3 – Repete a inspiração descrita no procedimento 1.
4 – Entoa o Mantra …eeeeeeEEEEEEEHHHHHHHH expelindo todo o ar dos pulmões, enquanto vÊ uma bola intensificando luz azul na região do pescoço.
5 – Repete a inspiração descrita no procedimento 1.
6 – Entoa o Mantra …aaaaAAAAAAAHHHHHH expelindo todo o ar dos pulmões, enquanto vÊ uma bola intensificando luz verde escura ou rosa na região do torax.
7 – Repete a inspiração descrita no procedimento 1.
8 – Entoa o Mantra …ooooooooOOOOOMMMMMMMMMM expelindo todo o ar dos pulmões, enquanto vÊ uma bola intensificando luz laranja/pessego na região da barriga.
9 – Repete a inspiração descrita no procedimento 1.
10 – Entoa o Mantra …uuuuUUUUUUUUUUHHHHHH expelindo todo o ar dos pulmões, enquanto vÊ uma bola intensificando luz vermelha ou chamas vermelhas na região do seu genital.
11 – Breve pausa (segundos). Parado no mesmo local. O operador aqui pode continuar com os olhos fechados ou abri-los.
12 – Inspire de forma completa (movimento de abdomem para baixo, depois torax expandindo e finalmente ombros para cima).
13 – Entoa o Mantra …uuuuUUUUUUUUUUHHHHHH expelindo todo o ar dos pulmões, enquanto vÊ uma bola intensificando luz vermelha ou chamas vermelhas na região do seu genital.
14 – Repita o procedimento da inspiração.
15 – Entoa o Mantra …ooooooooOOOOOMMMMMMMMMM expelindo todo o ar dos pulmões, enquanto vÊ uma bola intensificando luz laranja/pessego na região da barriga.
16 – Repete a inspiração.
17 – Entoa o Mantra …aaaaAAAAAAAHHHHHH expelindo todo o ar dos pulmões, enquanto vÊ uma bola intensificando luz verde escura ou rosa na região do torax.
18 – Repete a inspiração.
19 – Entoa o Mantra …eeeeeeEEEEEEEHHHHHHHH expelindo todo o ar dos pulmões, enquanto vÊ uma bola intensificando luz azul na região do pescoço.
20 – Repete a inspiração.
21 – Entoa o Mantra …iiiiiiIIIIIIIIIIIIHHHHHHHH expelindo todo o ar dos pulmões, enquanto vÊ uma bola intensificando luz branca ou violeta na região da cabeça.
22 – Breve pausa. Forme mentalmente (tente semprem sem ansia, uma hora vc irá conseguir) um pentagrama a sua frente. Abra os olhos caso estiverem fechados.
23 – Com a mão hábil segurando a adaga (ou o revolvinho com os dois dedos indicador e maior esticados, a palma da mao e polegar fechados), desenhe o pentagrama e simultaneamente entoe os mantras a seguir:
24 – O pentagrama a ser desenhado e o mantra usado em cada fase do desenho:
Pentagrama - Ritual Gnóstico do Pentagrama

Desenha-se ligando os pontos com a ponta da adaga:
Ligando os pontos 1 a 2 entoa-se IIIHHH
Ligando os pontos 2 a 3 entoa-se EEEHHH
Ligando os pontos 3 a 4 entoa-se AAAHHH
Ligando os pontos 4 a 5 entoa-se OOOMMM
Ligando os pontos 5 a 6 (o ponto 6 coincide com o ponto 1) entoa-se UUUHHH
Termine o desenho do pentagrama, tocando o seu centro (ponto 7) e então gire 90 graus a esquerda  (sentido contrario o do relógio ou anti-horário)
25 – Da forma descrita acima, depois do giro de 90 graus, desenhe outro pentagrama a sua frente da mesma forma. Repita o 1/4 de giro novamente. Desenhe novamente, Gire 1/4 novamente e desenhe novamente. Neste ponto você já terá desenhado os pentagramas nos 4 quadrantes. O proximo 1/4 de giro irá te deixar de frente para o primeiro pentagrama desenhado.
26 – Sinta os 4 pentagramas desenhados flutuando no ar.
27 – Repita os mantras, conforme descrito nos procedimentos de 1 a 22.
28 – Encerre sem pressa. Sente-se e relaxe.

Fonte: Divagações

Ritual de Banimento do Pentagrama Menor
Este ritual foi desenvolvido pela Ordem de S.L. Mac Gregor Mathers, a Goldem Dawn (Aurora Dourada), que por sua vez é praticado pelo aspirante para protegê-lo através da cruz cabalística, e promove o seu contacto com o eu superior.
Pessoalmente é meu preferido, embora tenha optado por vibrar outros nomes que me soam mais convenientes - utilizo de equivalentes Demôníacos devido a minha questão de familiaridade com tais, mas que remetem à mesma Força. Minha opinião é que pouco importa mudar utilizar palavras que você próprio preferir se estas estão relacionadas às "originais" - apenas torna o ato mais confortável a ti - basta você empregar as vibrações certas e associar a elas sua ordem. O que basta, para mim, são as intenções.

O Ritual
1 - Voltando-se para o leste, com o dedo indicador, toque a testa dizendo: ATHE (a ti);
2 - Em seguida toque o centro do peito e diga: MALKUTH (o reino);
3 - Tocando então o ombro direito diga: VE-GEBURAH (a força);
4 - Prossiga tocando o ombro esquerdo dizendo: VE-GEDULAH (e a glória);
5 - Juntando as mãos sobre o peito diga: LE OLAM ÁMEN (para sempre, amém ).
6 - Mentalize a flor de lótus no centro de seu peito ao fazer a cruz cabalística.
7 - Enquanto executa os gestos, o praticante deverá concentrar-se em visualizar fortemente uma linha de luz branca que traçará do alto da cabeça até o plexo solar, e dali até os pés, representando MALKUTH. Ele também deverá visualizar uma linha de luz vinda do seu ombro direito até o seu ombro esquerdo, enquanto pronuncia VE-GEBURAH e VE-GEDULAH, desenhando assim uma "cruz " em seu corpo. O praticante deverá também visualizar uma rosa no centro de seu peito ao mantrar a palavra LE OLAHN AMEN, completando assim a primeira parte do ritual, a chamada cruz cabalística.

Traçado do pentagrama
Sua figura terá que ser traçada no ar mantendo o seu braço direito erguido juntamente com o dedo indicador ou com seu bastão, começando pela ponta representada pelo elemento terra terminado no mesmo local de início.

Pentagrama da Terra - Invocando e Banindo
                 
                                                              
Os quadrantes
1 - Ponha-se de frente para o Oriente (Leste), trace o primeiro pentagrama tomando uma respiração e concentração profunda, aponte o dedo indicador para o centro do mesmo e pronuncie o nome YHVEH ( pronuncia-se: YOD-HE-VAU-HE ) mantrado;
2 - Mantenha o dedo apontado para o centro do primeiro pentagrama, e vire-se para o Sul  (a sua direita) repita o processo e mantre ADONAY; (pronuncia-se como se lê).
3 - Como da primeira vez, volte-se para o Ocidente (Oeste) repetindo o mesmo processo, mas mantrando, agora, EHEIHE ( pronuncia-se como se lê)
4 - Virando-se a sua direita novamente (Norte) repita o mesmo processo e mantre AGLA (pronuncia-se como se lê )

Invocando os Arcanjos
Voltando-se para o ponto inicial, estenda ambos os braços (em forma de uma cruz) e diga fervorosamente:
- A minha frente RAPHAEL
2 - Atrás de mim GABRIEL
3 - A minha direita MICHAEL
4 - A minha esquerda AURIEL, A MINHA VOLTA FLAMEJAM OS PENTAGRAMAS (concentre-se e visualize os pentagramas que desenhou no ar, cada qual em seu quadrante, flamejando) E NA COLUNA DO CENTRO ENCONTRA-SE O ESPLENDOR DE SEIS RAIOS (agora, mentalize um hexagrama dourado no centro de seu peito).

Finalizando o Ritual
1 - Voltando-se para o leste, com o dedo indicador, toque a testa dizendo: ATHE (a ti);
2 - Em seguida toque o centro do peito e diga: MALKUTH (o reino);
3 - Tocando então o ombro direito diga: VE-GEBURAH (a força);
4 - Prossiga tocando o ombro esquerdo dizendo: VE-GEDULAH (e a glória);
5 - Juntando as mãos sobre o peito diga: LE OLAM ÁMEN (para sempre amém).
6 - Mentalize a flor de lótus no centro de seu peito ao fazer a cruz cabalística.
7 - Enquanto executa os gestos, o praticante deverá concentrar-se em visualizar fortemente uma linha de luz branca que traçará do alto da cabeça até o plexo solar, e dali até os pés, representando MALKUTH. Ele também deverá visualizar uma linha de luz vinda do seu ombro direito até o seu ombro esquerdo, enquanto pronuncia VE-GEBURAH e VE-GEDULAH, desenhando assim uma "cruz " em seu corpo. O praticante deverá também visualizar uma rosa no centro de seu peito ao mantrar a palavra LE OLAHN AMEN, completando assim a primeira parte do ritual, a chamada cruz cabalística.
Ritual Thelemico do Pentagrama
Escritor por David Cherubim, essa é uma opção bastante simples e igualmente eficaz se comparado aos outros assinados pela Ordem Hermética da Aurora Dourada (Golden Dawn). Ao mantrar os Nomes, deve-se sentir vibrar o corpo pôr inteiro, emitindo assim o som pelos confins do universo. Praticando o ritual para banir, ele terá o propósito de eliminar os pensamentos obsedantes e perturbadores que possam interferir nos feitos mágicos do praticante, ao invocar seu objectivo será trazer as forças dos arcanjos para a proteção do invocativo (ao "invocar" estará trazendo as forças para dentro de si, ao contrário de "evocar", pois esta prática é feita para manifestar as forças externamente).
O ritual também pode ser mentalizado, utilizando assim as práticas de concentração, para fazê-lo procure uma posição bastante cômoda ou utilize seu Asana (postura) preferido, mentalize-se de pé e comece a executar o ritual mentalmente imaginando os pentagramas como estrelas flamejantes, e no final a imagem a ser vislumbrada é de um círculo de fogo e, a sua volta, em cada quadrante os pentagramas flamejando.

1 – Toque a testa, e diga: HOOR-PAAR-KRAAT. 
2 – Toque o peito, e diga: HERU-RA-HA. 
3 – Toque os genitais, e diga: RA-HOOR-KHUIT. 
4 – Toque o ombro direito, e diga: TA-NECH. 
5 – Toque o ombro esquerdo, e diga: BES-NA-MAUT. 
6 – Coloque as duas palmas das mãos juntas sobre o peito, e diga: ANKH-AF-NA-KHONSU.
7 – Avance ao Oriente, traçe o Pentagrama com a arma própria (Bastão para invocar, Punhal para banir). Diga (i.e., vibra): THERION
8 – Voltando ao Norte, o mesmo, mas diga: NUIT. V
9 – oltando ao Oeste, o mesmo, mas diga: BABALON. 
10 – Voltando ao Sul, o mesmo, mas diga: HADIT. 
11 – Volte ao Oriente, completando o Círculo, extende os braços em forma de uma Cruz, e diga:
Na minha frente AMESHET; 
 Atrás de mim TUMAUTEF; 
 A minha direita, KABESHUNT; 
 A minha esquerda, AHEPHI; 
 Perto de mim arde a Estrela de Cinco Pontas, 
 E na Coluna brilha a Estrela de Seis Raios
12 – Repita 1 até 6, (a Cruz Thelemica).

Fonte: Astrólogos Astrologia

0 comentários:

Postar um comentário

Escreva, monstrinho.