.

1 2 3 4 5

5 de dezembro de 2013

Postado por Monique | Marcadores:
Conforme o inverno morto  se aproxima, você encontrará-se sozinho à noite, sentindo-se isolado e abandonado em uma cama por demais vazia, conforme a noite cresce cada vez mais lúgubre. Sombras horríveis dançam por toda a parede. O vento espanca incessantemente sua chorosa janela. Uma sirene de ambulância ecoa à distância. E não há ninguém lá para confortá-lo ou convencê-lo de que você não ouviu esses tiros ecoando pela rua. Não há ninguém lá. Ninguém lá.
Mas não tenha medo.
Ele espera por você.
Espere até que a lua se esconda, talvez atrás de um amontoado de nuvens. Meia-noite é o momento típico para isso acontecer. Feche os olhos e segure a respiração enquanto você deixa a cama. Você pode abrir os olhos uma vez que você sair de seu quarto. Vista-se se quiser, pois você estará saindo de sua residência em breve. Não leve nada com você, exceto o que pode carregar nos bolsos. Em seguida, entre em seu carro e dirija para fora da cidade. Dirija o mais longe da civilização que puder. Eventualmente, o ar ficará ainda mais frio. Em seguida, uma densa neblina formará apenas um estreito caminho pela estrada. Você vai ouvir nada além do silêncio conforme se aproxima dele. Deixe-o consumir, você e seu veículo. Nenhum dano lhe acontecerá. Eu prometo.
Não tenha medo.
Ele espera por você.
A neblina vai se espessar. Você verá um motel com iluminação parca, parco e sozinho no meio da noite. Assim como você. Conforme entra no local, percebe que não há mais ninguém lá. O único sinal de possível habitação humana lá será uma pequena chave no balcão da recepção. Tome-as.
Ande pelos corredores até encontrar a sala adequada. Em breve, você saberá exatamente qual será a porta correta, mas você não vai saber o por quê. Use sua chave para entrar nessa sala. Caminhe para dentro e deite-se na cama.
Não é mais confortável que sua cama em casa. Ainda não há nada além do puro silêncio que estende-se por milhas. A morte paira no ar ao seu redor. E é tão frio. Você ainda está sozinho. E assustado. Mas está tudo bem. Ele está com medo, também. E está tão frio. Frio o suficiente para manter o travesseiro perto de seu corpo, enterrando seu rosto nele e o abraçando, fingindo que sua maciez é um amante e tudo o que você quer. Você ainda não se sente seguro, mas se sente mais quente...?
Abra os braços, levante a cabeça! O calor que passou a lhe aquecer há pouco emana de... Braços. Dois braços torcidos, mutilados, traçando seu corpo.
Aqui está ele. E ele está com medo, também.
Você pode ver isso em seus olhos enegrecidos, esféricos, fixados em seu rosto e brilhando com a luz de outra dimensão. A luz resplandece nas manchas sob a pele ressecada, fazendo-a brilhar lugubremente. Contusões cobrem o pescoço em decomposição, bem como profundos e nítidos vergões arroxeados. É como se alguém tivesse tentado estrangulá-lo. Ele suspira, e suavemente acaricia seu rosto. A pele das mãos começa a descamar em você, e você quer varrer aqueles dedos para longe de si, mas você está atordoado, completamente atordoado com essa estranha criatura que está completamente apaixonado por você.
Pelo menos você não está mais sozinho.
Você vai, então, reunir vontade suficiente para tomar suas mãos e gentilmente levantá-las para fora de você, dispondo-as a seu lado. Você dá uma olhada melhor nele; suas pernas são perturbadoramente tortas, depois de terem sido quebradas em tantos lugares e curadas de forma indubitavelmente indevida. E ele não vai parar de olhar para você. Pequenas, brilhantes lágrimas escorrem de seus olhos. Ele treme e treme, tentando formar palavras com a boca rasgada. Você não pode dizer exatamente o que ele está tentando dizer. Não importa por agora, de qualquer maneira. Ele vai querer te tocar, te segurar e clamar por consolo. Seja qual for a intensidade da mais cruel dor causada pela solidão que você alguma vez sentiu, qualquer que seja a tristeza que você pode ter se gerido em toda a sua vida, ele sente também. Suas lágrimas caem sobre você, e ele vai deixar você fazer o que quiser com ele. Ele sabe que não importa o que você faça, isso nunca poderia feri-lo tanto quanto o que os outros fizeram no passado, isso nunca vai machucá-lo tanto quanto o isolamento que ele sentiu nesse motel. Ao focar mais uma vez seus olhos brilhantes, você pode ganhar uma vontade súbita de mutilar-lo e puni-lo pelo simples fato dele existir. Mas por favor, seja gentil. Ele te ama indescritivelmente, afinal.
Passe a noite com ele. Ele vai deixar você fazer qualquer coisa que quiser, e não será capaz de falar uma palavra sequer. Mas não se esqueça de sair da sala antes do nascer do sol, quando ele tentará fazer tudo ao seu alcance para te impedir de sair. Ele vai te agarrar, chorar e gritar. Lágrimas se manterão jorrando de seus olhos brilhantes, desintegrando ainda mais sua pele. Mas não importa o quanto você sinta pena dele, saia! Resista aos apelos, e saia! Se você não fizer isso, acabará preso e condenado a viver a mesma vida que a dele eternamente, nesse velho motel. Não deixe que ele te segui. Basta fechar a porta, e assim ele será bloqueado.
Você está sozinho novamente.
Então você vai acordar em sua cama, em casa, algum tempo depois que o sol levantou. Os acontecimentos de ontem à noite vão parecer apenas um mero sonho. Tudo em sua casa onde você deixou, nada foi tocado.; seu carro, sua roupa, tudo.
Então, se você tiver sorte, algo incrível vai acontecer. Dentro de alguns dias você conhecerá uma nova pessoa. Essa pessoa tem tudo o que você gostaria, e é como se ela foi feita para você, para te completar! Com o tempo, os dois vão se apaixonar, e você quase vai esquecer o ser do motel; esquecer daqueles olhinhos brilhantes te fixando. Tudo o que importa é que você estará apaixonado por esta nova pessoa maravilhosa, e ambos vão te amar reciproca e incrivelmente.
Mas uma vez que agora vocês compartilhem uma mesma residência, as coisas progressivamente se tornarão estranhas. Quando deitam-se juntos, você pode ouvir um leve arranhão na porta, e um lamento sôfrego por demais familiar. Mas não se preocupe, seu companheiro irá te consolar e acalmar, embora ele mesmo não ouça nada... Algum tempo depois, o murmúrio pode tornar-se um grito. Os arranhados se tornarão batidas, e só você pode ouvi-las. Não importa o quão duro você tente convencer seu parceiro do que você ouve, ele só vai dizer-lhe para voltar a dormir.
Finalmente, você vai notar que os ruídos desapareceram. As noites voltarão a ser pacíficas novamente, e será apenas você e amado. Mas a partir daí, sempre que focar nos olhos de seu querido, você notará um novo brilho em seus olhos, como a luz de uma outra dimensão...
Não tenha medo.
Ele esperou tanto tempo para você, e ele te ama.

0 comentários:

Postar um comentário

Escreva, monstrinho.