.

1 2 3 4 5

20 de fevereiro de 2014

Postado por Monique | Marcadores: ,
Não sou realmente fã de animes, muito menos dos com traços fofos e olhos gigantes. Minha melhor amiga há meses vinha me indicando Corpse Pary, e depois de mais de um ano enrolando fui dormir na casa dela e lá acabamos assistindo.
Corpse Party: Tortured Souls é uma adaptação animada do jogo Corpse Party: BloodCovered, que por sua vez tem suas origens na obra anterior feita no RPG Maker. O que acho mais incrível na história é o fato dela ter sido desenvolvida inicialmente como um jogo de um softwere totalmente primário e limitador. Não sei quanto a vocês, mas cresci tentando criar joguinhos ali e não saía mais que porcarias, e hoje aos dezoito anos vejo que há quem tenha conseguido fazer uma história tão épica naquele sofwere que usava para brincar quando criança.


A história de Corpse Party: Tortured Souls primeiramente nos apresenta um grupo de estudantes e uma professora que compartilham um forte laço de amizade, do colégio Kisaragi Academy, cujo terreno anteriormente abrigava a escola Tenshin Elementary School, demolida após uma série de incidentes misteriosos como desaparecimentos e assassinatos de funcionários e alunos.
A trama começa quando os personagens citados se reúnem numa sala depois das aulas para se despedir da amiga Mayu Suzumoto que irá se transferir no dia seguinte, e Ayumi Shinozaki, aproveitando o fato de já ser noite e a possibilidade de criar um clima sinistro apagando as luzes no recinto, começa a contar aos amigos a história macabra da Kisaragi Academy.


Finalmente Ayumi, fanática pelo sobrenatural, sugere que todos façam o Sachiko Ever-after, uma espécie feitiço para que todos fiquem unidos sempre. O ritual consiste em fazer uma boneca de papel e rasgá-la, ficando cada um com um pedaço, após repetirem mentalmente um mantra. Mas alguém deixa de repetir o mantra e dessa forma o ritual falha, os levando à escola Kisaragi, e enquanto fogem das assombrações que habitam o local, devem lutar contra suas próprias mentes a fim de não perderem a sanidade.
A partir daqui deixo de contar mais da trama, porque todo o mistério parece muito mais apetitoso quando se mergulha nele de cabeça. 


Há doses boas de sangue mas nada chega a se tornar patético ou exagerado; não curto olhos grandes e tirando estes devo admitir que o traço é lindo, e uma cena em especial do último mini-episódio mereceu um print screen, de tão mórbida e lindamente desenhada que achei. Mesmo não conseguindo assustar ou perturbar como Begotten (risos), o espectador consegue sentir o sentimento dos personagens, sentir o medo e temer por eles.


Infelizmente vi muita gente falando que ele é inferior ao mangá, mas convenhamos que adoram falar isso de livros em relação a filmes, e creio que o mesmo vale a mangás em relação a animes. Há quem diga que o defeito dessa adaptação é o tempo deveras diminuto, e mesmo não sabendo nada a respeito das outras vertentes da companhia, concordo com isso ao observar como em muitos casos os personagens não demonstram a reação esperada perante a morte de alguém querido, contradizendo o modo como tão bem expressam ao expectador o medo que sentem - tenho certeza que os produtores conseguiriam muito bem transmitir a tristeza se quisessem, se tivessem tido tempo para trabalhar esse aspecto. 
Relevando esse pormenor, realmente indico Tortured Souls e ouçam minha indicação com carinho, já que eu não gosto de animes.

7 comentários:

  1. A história do anime fica muito atrelada ao jogo. No 2° ep um dos personagens pede para um dos fantasmas assassinos acompanhar a irmã dele até o banheiro. É patético, mas como tinha que seguir o jogo...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade também achei que eles confiavam de mais nos fantasmas,e eu queria que tivessem mais personagens para morrer :3

      Excluir
    2. Bom é que a sachiko não tem registro de ser morta enta1 fica mais facil

      Excluir
    3. Bom é que a sachiko não tem registro de ser morta enta1 fica mais facil

      Excluir
  2. aaaah sua linda, você postou sobre :3~

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim vuv! Queria TANTO que tivéssemos a liberdade de ficar vendo animes de madrugada que nem antes. CRIES

      Excluir
  3. aaaah sua linda, você postou sobre :3~

    ResponderExcluir

Escreva, monstrinho.